Wednesday, 11 July 2018

mãe aos 17 e mãe aos 37

Com certeza ser mãe com 20 anos de diferença são duas experiências completamente diferentes.

Quando fui mãe a primeira vez eu tinha 16 anos e não 17 como diz o título desse texto. Por muito tempo e para maioria (a maioria mesmo) das pessoas eu sempre disse que tive meu primeiro filho com 17 e não com 16 anos.
Por que? Porque eu sempre tive vergonha de ter tido um filho com 16 anos, mesmo sem ter motivo nenhum pra isso.
Eu nunca tive vergonha do meu filho mas sim do fato de ter sido mãe muito nova e por algum motivo achei que 17 era uma idade melhor que 16.

Quando eu fiquei grávida pela primeira vez as pessoas na minha família e na minha cidade me julgaram muito. O que eu mais ouvia era "acabou com a vida dela", "coitada, vai fazer o que agora?".
As pessoas me olhavam como se eu tivesse feito uma coisa muito errada, me falavam que eu ia ter que cuidar do bebê  como se fala quando está castingando alguém.
Pra uma menina de 16 anos sem ninguém pra conversar ou dizer que na verdade tava tudo bem isso tudo é bem difícil de lidar.

Meu primeiro filho nasceu e ele era lindo (ainda é) e eu amei ele desde sempre.
E todo mundo adorava ele. E todo mundo sempre me falava o que fazer.
Como dar de mama, quando começar a dar comida, como fazer a comida, do que bebês precisam e do que não precisam, e isso e aquilo e tudo.
Isso foi muito bom, eu não sabia nada.
Mas também foi ruim, eu não via isso na época, porque eu só fui fazendo as coisas como me mandavam, sem opinião.

Um tempo depois, talvez por dó de mim ou por acharem que eu não era capaz, contrataram uma babá pro meu primeiro filho.
Hoje eu me pergunto porque. Não tinha necessidade.
Ah, e eu tive que trabalhar, porque afinal de contas eu tinha um filho e tinha que ter responsabilidades.
Meu filho ficava com uma babá enquanto eu trabalhava.
Hoje eu me questiono - quanto tempo eu perdi com meu primeiro filho :(
Hoje eu penso que naquela época queria ter falado que não precisava da babá, mas eu não falei. Fui fazendo as coisas como me mandavam e não via as consequências disso no futuro.
Eu não sabia o quanto ia sentir falta do tempo que perdi (e nem vivi).

Mas eu não fui sempre vitima. Eu me aproveitei da situação pra ser apenas uma menina de 17/18 anos quando podia. Eu até fui morar em outra cidade quando meu primeiro filho era uma criança e precisava muito de mim.
Só eu sei o quanto me arrependo disso hoje e se pudesse voltar atrás não tinha ficado tanto tempo longe.

E quando meu primeiro filho ia fazer 20 anos eu fiquei grávida de novo.
Mas ai eu tava casada e todo mundo esperava que eu tivesse um bebê. Ninguém me julgou.

20 anos depois eu tive que aprender um monte de coisas sozinha e isso foi bom. Eu pedi ajuda quando precisei.

Hoje eu tento não fazer as mesmas coisas que julgo ter feito errado no passado e tenho medo de errar tentando não cometer os mesmos erros.

Friday, 29 June 2018

Quando me tornei Corinthiana

Poucas pessoas sabem, talvez ninguém mais se lembre, mas antes de ser Corinthiana eu já fui são paulina.

Acho que essa fase durou bem pouco, eu era pequena mas me lembro bem de quando deixei de torcer pra um time e passei a torcer pro outro.

Quando eu tinha uns 6 ou 7 anos (talvez 8 ou 9) eu torcia pro são paulo, ou pelo menos falava que torcia pq um dia meu pai (ou o cara que emprestou o espermatozóide pra minha mãe) já tinha jogado no São Paulo.
Ai eu criança pensava que se eu torcesse pro são paulo ele ia gostar de mim (e era legal falar pras pessoas que meu pai já tinha jogado no são paulo).

Ai um belo dia teve um Corinthians x São Paulo. Acho que era jogo importante as pessoas na minha casa (todas corinthianas) estavam bem nervosas.
Ai esse jogo o Corinthians ganhou. Mas não foi só isso, o Corinthians ganhou jogando com 9 jogadores.

Eu me lembro bem do nervosismo da minha mãe e do meu avô e me lembro perfeitamente da felicidade do meu avô quando o jogo acabou.
E foi ai que eu virei Corinthiana.

Lembro que pensei "caramba que time bom, mesmo com 9 jogadores eles ganharam do São Paulo"

E dai pra frente foi só amor <3

Tuesday, 12 June 2018

Pro Gui

Depois de tanto tempo nem sei mais o que escrever, afinal são 8 anos escrevendo textão no dia dos namorados.

Passamos por tanta coisa já. Momentos não tão faceis, mudança de vida e mudança de vida de novo com o Gael.
E aqui estamos nós, talvez num dos nossos melhores momentos.

Já faz um tempo eu tenho pensado que sorte ter te encontrado. E que sorte a gente ter ficado junto.
As vezes fico olhando vc com o Gael, que puta pai! Meu coração se enche de felicidade.

Nesse tempo todo já quis te matar algumas vezes, cara como vc é chato! Mas também já me apaixonei por vc de novo tantas outras vezes. É um loucura isso, de repente dá um negócio assim no estômago que diz "ele é o cara".

Talvez vc nem saiba mas nesse tempo todo vc me ensinou um montão de coisas, obrigada. Acho que eu sou uma pessoa melhor agora.

Gui, te amo um montão.

Sunday, 13 August 2017

Dia dos pais

Dia dos pais sempre foi um dia meio x na minha vida. Quem me conhece sabe da minha história com meu pai e pra quem não me conhece basta saber que temos, e sempre tivemos, zero contato.

Mas não foi por não ter um pai presente que eu não tive pai, muito pelo contrário, eu tive vários.

Eu tive o melhor pai do mundo, meu avô! Vô Djalma, que homem! Quanta saudade.
Me lembro de quando criança fazer os presentes de dia dos pais na escola e entregar todos pra ele e isso ser muito natural.

Também tive muitos pais que ajudaram minha mãe, minhas tias e tios.

E por último veio meu padrasto, que mesmo nos momentos mais dificeis não desistiu de mim e me protegeu e me guiou com um pai.

E claro, sempre teve a minha mãe que também foi meu pai. Obrigada.

Hoje tenho doi filhos e eles tem dois paizões. Um já mais experiente e outro ainda aprendendo mas paizões.

Meu filho mais velho tem um pai amigo, companheiro e super presente e eu agradeço muito por isso.

Meu filho mais novo tem um pai que tá aprendendo a ser pai e tá se saindo muito bem. É carinhoso, é dedicado, é presente.

Eu sou muito feliz pais que  tive e muito feliz pelos pais que meus filhos tem.
Obrigada aos que cuidaram de mim e aos que cuidam dos meus filhos.
Obrigada por cuidar, educar e amar.

Monday, 12 June 2017

Pro Gui - 7 anos depois

7 anos!!
7 anos é muito tempo, é muita história.

Já teve texto falando de paixão, agradecendo, pedindo desculpa, dividindo o amor. Teve até texto pra comemorar o dia dos namorados falando que a gente não comemora o dia dos namorados.

E a gente não comemora né?!
Acho que nunca trocamos um presente nessa data, se trocamos eu não lembro (desculpa), mas cada presente fora de data e sem motivo tai pra provar que todo dia é dia dos namorados e que podemos comemorar e presentear e falar eu te amo quando quisermos.
Um livro porque fui na livraria e lembrei de você, uma camiseta porque achei a sua cara (ou porque saiu uma camisa nova do palmeiras), um jantar fora porque hoje a gente tava com vontade ou um beijo e abraço não esperados, valeram muito mais que todos os dias dos namorados não comemorados.

7 anos!
Teve rosto virado antes do primeiro beijo, teve frio na barriga porque resolvemos morar juntos mesmo antes de fazer 1 ano de namoro, teve briga, teve festa, teve amor, teve viagem, teve casamento, teve mudança de vida, teve bebê.
Teve carinho, teve cumplicidade, teve aprendizado, teve companheirismo, teve respeito, teve paixão.

Gui, obrigada por esses 7 anos! Por não ter desistido de mim quando o virei o rosto ou em qualquer outra vez que eu possa ter te dado motivo pra isso. Obrigada por cada momento, tenha sido ele bom ou nem tanto assim. Obrigada por cada ano. Obrigada por dividir a sua vida comigo todos esses anos.
Você é incrível incrível incrível! Eu gosto tanto e admiro tanto que não sei nem falar, sou apaixonada igual no começo do namoro mas com o amor mais maduro.

Se eu for pra você e fizer pra você um pouquinho do que você é e faz pra mim eu já vou ser muito feliz.
Gael tem o pai mais legal de todos :)





Friday, 17 June 2016

Beije sem cerimonia apenas beije

Na volta do trabalho passando por aquela rua na cidade grande que é um hospício a céu aberto, Menina Magrelinha viu um lambe lambe num poste escrito "beije sem cerimonia apenas beije" e pensou " isso dá uma foto bem legal".
Ai ela pensou que a foto ficaria mais legal se nela tivesse um casal se beijando e foi nesse momento que ela resolveu ficar ali esperando um casal se beijar na esquina. E na cabeça da Menina Magrelinha isso seria muito fácil afinal de contas ela estava na rua onde todos se beijam o tempo todo sem nenhum problema.
Só que não foi bem assim :( 20 minutos e nada de um casal se beijando na esquina.

(nesses 20 minutos que a Menina Magrelinha ficou lá eito estatua esperando um casal se beijar na esquina uma garota super simpática que estava passando percebeu que ela queria alguma coisa e perguntou se ela precisava de ajuda. Menina Magrelinha explicou que não, que só estava esperando um casal se beijar para fazer uma foto e agradeceu. A menina fez uma cara de interrogação até que viu o lambe lambe e disse "nossa, vai ficar muito legal" e ficou ali uns 5 minutos conversando com a Menina Magrelinha só pra fazer companhia mesmo).

Então Menina Magrelinha teve uma ideia: vou pedir pra um casal se beijar! Simples.
Mais uns 10 minutos se foram até passar um casal de mãos dadas (era super importante Menina Magrelinha conseguir identificar um casal) e ficar parado na esquina esperando o semáforo (sim, Menina Magrelinha preferiu esperar que um casal parasse na esquina ao fica parando as pessoas na rua, afinal de contas ela não é tãooo maluca assim).

Ai o lindo casal apareceu.
Menina Magrelinha: oi, posso pedir uma coisa meio estranha pra vcs? Eu estou querendo fazer uma foto e preciso de um casal se beijando pra ela ficar muito legal, vcs poderiam se beijar ali na esquina pra eu fazer a foto?
Ela: oi?
Menina Magrelinha: é... tem um lambe lambe ali e eu ia fazer uma foto dele mas ai pensei que com um casal se beijando a foto ficaria mais legal ai eu estou aqui há 20 minutos esperando um casal se beijar mas incrivelmente hoje ninguém tá se beijando ai eu resolvi pedir pra vcs (el falou tudo assim sem vírgulas mesmo)
Ela: então...é que a gente não deu o primeiro beijo ainda....
Menina Magrelinha: jura? mas vcs vão se beijar não vão?

Ela deu um a risadinha: vamos... ahhh acho que seria legal  né?! bem diferente... o que está escrito nesse cartaz?

Menina Magrelinha levou o casal até o lambe lambe e quando Ela leu falou pra Ele " vamos ali dar um beijo pra ela fazer uma foto". Ele só respondeu ok! e os dois ficaram lindos na foto da Menina Magrelinha.

(antes do beijo ela perguntou para Menina Magrelinha se poderia ser só um selinho, Menina Magrelinha concordou, mas não foi bem assim :) o amor á lindo!)

Ahhh..... Ele não falou nada pois gringo e não entendeu muito bem uma louca pedindo pra eles se beijarem.




o selinho




depois. .<3 td="">

Monday, 13 June 2016

Pro Gui - sexta parte

E aqui estou eu de novo.

6 anos!! :)

Desde sempre eu digo que gosto muito da gente juntos, que a gente funciona. 
E não é que a gente funciona mesmo?
E quanta gente também acha isso?! :)

Se eu falar que foi tudo lindo nesses 6 anos eu vou estar mentindo mas cada desentendimento e lágrima derramada serviu pra gente aprender e ficar melhor (e mais lindo).

Hoje tudo o que eu posso fazer é agradecer. 
Por cada puxão de orelha, por cada abraço, por cada incentivo, por cada olhar apaixonado, por cada risada de mim mesma, por cada colo, por cada dia desses últimos 6 anos, por me escolher pra fazer parte da sua vida, por sermos exemplo de amor pra uma porrada de gente, por cada música tocada durante o preparo do jantar.
E que tenham cada vez mais 6 anos na nossa história. 

É muito amor! é tanto que nem sei explicar.



 (e nesse texto tem foto porque eu fiquei muito feliz e adoro meu vestido de girafa)